Santos Dias da Silva Presente!

Uma placa de homenagem ao operário metalúrgico Santos Dias da Silva foi colocada no Cemitério Campo Grande de São Paulo o 18 de setembro de 2017. Santos foi assassinado pelo policial Herculano Leonel, quando participava das atividades de uma greve, em 30 de outubro de 1979.

Santos Dias se aproximou a Oposição Sindical Metalúrgica (OSM-SP) desde 1965, participoudo inicio da Pastoral Operária na década de 1970 e ajudou na organização das Comissões deFábrica.

Em 1979 a assembleia dos metalúrgicos decretou greve a a reprssão policial se intensificou. A PM invadiu os comandos da greve e prendeu 334 sindicalistas, mas mesmo assim a greve aconteceu.

Quando Santos e seus colegas deixavam a fábrica Sylvania onde trabalhavam, para participar da greve, foram abordados, e um policial atirou e matou a Santos Dias.

Estão sepultados no Cemitério Campo Grande os militantes assassinados Santos Dias (1942-1979), Emmanuel Bezerra Dos Santos (1943-1973) e Manuel Lisboa de Moura (1944-1973). A inaguração das placas é um dos instrumentos de reparação às vítimas da ditadura e da visibilidade às violações de direitos humanos praticadas pelo regime militar.





Observatório das Violências Policiais e dos Direitos Humanos
Rua Monte Alegre 984 - Perdizes -  Prédio Novo - 4º andar - Bloco A - Sala 4E08 - CEP 05014-901 - São Paulo - SP