Em 2006 o Observatório das
Violências Policiais-SP
(www.ovp-sp.org)
foi integrado ao Centro de
Estudos de História  da
América Latina (CEHAL)- Núcleo
Trabalho, Ideologia e Poder,
da PUC-SP
(Pontifícia Universidade Católica)

Sitio Premiado - Selo Direitos Nota 10 - DHnet

 

Pesquisar neste sítio

 


Baixe para ler em pdf

 

 

Dilma diz que Exército é orgulho do país

Fonte: O Globo
20/04/2011


Pela primeira vez na sede da força desde que foi eleita, presidente fala do ‘direito aos direitos humanos’ no Brasil

Gustavo Miranda e Chico de Gois

BRASÍLIA. Em mensagem lida na comemoração do Dia do Exército, ontem, no Quartel General da força, a presidente Dilma Rousseff foi pródiga em elogios à instituição, usando adjetivos comuns da caserna, como “trabalhadores altivos”, “nobre missão” e “valores inerentes”. Dilma, que pela primeira vez como presidente participou de uma solenidade na sede do Exército, destacou que o país tem “vocação pacífica e democrática, que valoriza o diálogo, a Justiça, o direito aos direitos humanos”.

Dilma disse que o Exército é uma instituição respeitada dentro e fora do país. “A sociedade brasileira tem plena confiança na eficiência dos integrantes da força terrestre. Os valores que lhes são inerentes — patriotismo, profissionalismo e dedicação — fazem dessa instituição uma fonte permanente de orgulho para o país”, diz a mensagem de Dilma.

Peri: Exército deve cruzar a ponte que o separa do futuro

O comandante do Exército, Enzo Peri, também ressaltou que a força está comprometida com a democracia. Em pronunciamento feito durante solenidade, Peri foi enfático:

— Povo brasileiro, orgulhe-se de seu Exército genuinamente nacional, comprometido com os valores democráticos e em permanente estado de prontidão para defender nosso solo e nossa gente.

Peri defendeu que o Exército cruze a ponte “que o separou do futuro”:

— Hoje, vivemos um momento singular dessa nossa História. É dada a esta geração a oportunidade, mais que isso, o dever de cruzar a ponte que nos separou do futuro, deixando para trás, de forma definitiva e irreversível, o sonho de ser potência emergente para alinhar-se entre os principais atores globais, credor de respeito internacional, possuidor de voz ativa em foros mundiais e detentor de responsabilidades que ultrapassam nossas fronteiras — discursou.

Peri também sugeriu que é necessário ao Exército queimar etapas, não especificando quais:

— Isso impõe, para a força terrestre, que se queimem etapas para, de um salto ousado, se chegar à sua transformação, como já propõe a Estratégia Nacional de Defesa.

O Exército distribuiu condecorações a mais de 257 personalidades, como dez ministros, entre eles a da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, que defende a instalação da Comissão da Verdade — projeto que enfrenta resistência de parte das Forças Armadas. Dilma quebrou o protocolo e, em vez de subir ao palanque, fez questão de cumprimentar um a um os ministros, incluindo o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), que se encontravam na primeira fila dos agraciados.

Rua Monte Alegre 984 - Perdizes -  Prédio Novo - 4º andar - Bloco A - Sala 4E08 - CEP 05014-901 - São Paulo - SP