Em 2006 o Observatório das
Violências Policiais-SP
(www.ovp-sp.org)
foi integrado ao Centro de
Estudos de História  da
América Latina (CEHAL)- Núcleo
Trabalho, Ideologia e Poder,
da PUC-SP
(Pontifícia Universidade Católica)

Sitio Premiado - Selo Direitos Nota 10 - DHnet

 

Pesquisar neste sítio

 


Baixe para ler em pdf

 



Letalidade da Rota é a maior em 5 anos
Fonte: Folha de S. Paulo
28.01.2012


Integrantes da chamada tropa de elite da Polícia Militar paulista foram responsáveis por 91 mortes ano passado

Para novo comandante da Rota, é preciso analisar mortes no contexto de ações especiais do grupo

André Caramante, Afonso Benites e Evandro Spinelli


A letalidade envolvendo policiais militares da Rota, tida como a tropa de elite da PM paulista, em 2011 foi a maior dos últimos cinco anos.

Entre mortos em casos de "resistência seguida de morte" (82) e homicídios dolosos (9), integrantes da Rota foram responsáveis por 91 mortes em 2011 -14,28% de todas as mortes (637) envolvendo PMs no Estado de São Paulo.

Em 2007, os PMs da Rota estiveram envolvidos em 47 mortes, o que representou 9,85% dos 477 mortos por PMs em todo o Estado.

Em sete anos, as mortes em 2011 só não superaram as de 2006, quando as forças de segurança enfrentaram três ondas de ataques da facção criminosa Primeiro Comando da Capital. PMs da Rota se envolveram em 93 "resistências seguidas de mortes" e 4 homicídios na ocasião.

O atual comandante da Rota, tenente-coronel Salvador Modesto Madia, que assumiu o posto em 22 de novembro de 2011, disse que as mortes causadas pelos seus subordinados precisam ser analisadas dentro de todo o contexto atual da Rota, "que é uma tropa de excelência", segundo sua classificação.

A análise de documentos de 84 meses (2005 a 2011) da Corregedoria da Polícia Militar feita pela Folha revela que os PMs da Rota tiveram ligação com as mortes de 470 pessoas no período.

Entre 2005 e 2011, 3.921 pessoas foram mortas por PMs no Estado de São Paulo, isso em "resistência seguida de morte" (3.074) e homicídio doloso (847). A média diária de mortos por PMs em São Paulo é de 1,53.

As 470 mortes ligadas aos PMs da Rota são 12% de todos mortos nesses sete anos.

Todas as mortes cometidas por PMs na Grande São Paulo e capital são investigadas pela Corregedoria da PM e pelo DHPP (departamento de homicídios), da Polícia Civil.

Alguns casos com PMs da Rota, como as mortes de seis acusados de tentar roubar caixas eletrônicos de um supermercado, na zona norte paulistana, em agosto, estão sob suspeita de terem sido resultado de uma emboscada.

Corregedoria da PM, DHPP e Promotoria investigam se os ladrões foram mortos quando já estavam rendidos.

 

 

.
Um em cada cinco mortos em São Paulo é vítima de PM
Fonte: Folha On-Line - São Paulo - SP (27/01/2012)
27.01.2012


Uma a cada cinco pessoas assassinadas na cidade de São Paulo, em 2011, foi morta por um policial militar, estivesse ele em serviço ou não.

Opinião: Crime mata menos, polícia mata mais
'Triângulo da morte' concentra assassinatos em SP
Número de homicídio doloso cai em SP em 2011
Radar da Violência

A informação é de reportagem de André Caramante, Afonso Benites e Evandro Spinelli, publicada na Folha desta quarta-feira (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Levantamento feito pela Folha, com base nos dados da Corregedoria da Polícia Militar, revela que, das 1.299 pessoas mortas na capital paulista nesse período do ano passado, 290 foram atingidas por PMs --22,3% do total.

As 290 mortes cometidas por PMs são casos de "resistência seguida de morte" (229) e homicídios dolosos fora do trabalho (61). Essa é a maior média de mortos por PMs desde 2005, proporcionalmente ao total de pessoas mortas na cidade.

   

 

 

Resultados da tropa melhoraram, diz comandante
Fonte: Folha de S. Paulo
30.01.2012

Para o tenente-coronel Salvador Modesto Madia, comandante da Rota, a análise sobre os casos em que seus subordinados se envolvem em mortes precisam ser analisados com 48 índices de produtividade da sua tropa, que tem 820 PMs -700 deles prontos para o serviço de rua.

De acordo com Madia, todos os 48 índices de produtividade da Rota, quando comparados janeiro de 2011 e o deste ano, são superiores.

"Apreendemos neste mês mais drogas [85 kg], armas [27], veículos irregulares [28] e fizemos mais flagrantes [91]. Mas as resistências seguidas de morte estão empatadas, foram cinco", disse. (AC)

 

 

Rua Monte Alegre 984 - Perdizes -  Prédio Novo - 4º andar - Bloco A - Sala 4E08 - CEP 05014-901 - São Paulo - SP