Em 2006 o Observatório das
Violências Policiais-SP
(www.ovp-sp.org)
foi integrado ao Centro de
Estudos de História  da
América Latina (CEHAL)- Núcleo
Trabalho, Ideologia e Poder,
da PUC-SP
(Pontifícia Universidade Católica)

Sitio Premiado - Selo Direitos Nota 10 - DHnet

 

Pesquisar neste sítio

 


Baixe para ler em pdf

 



PM mata adolescente e moradores bloqueiam rua em protesto em SP
Fonte: G1 SP -
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/04/pm-mata-adolescente-e-moradores-bloqueiam-rua-em-protesto-em-sp.html
14.04.2012

PM diz que jovem foi morto por 'disparo acidental em abordagem de rotina'.
Moradores atearam fogo em madeiras e pneus em rua na Zona Leste.

 

Moradores do Jardim José Bonifácio, em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, atearam fogo em móveis, madeiras e pneus, bloqueando a Rua Virginia Ferni, próxima à estação José Bonifácio da CPTM, no início da tarde deste sábado (14), em protesto pela morte de um adolescente durante uma abordagem policial.

 

De acordo com informações da sala de comunicação da Polícia Militar, houve um disparo acidental da arma de um policial que atingiu o adolescente durante uma abordagem de rotina, por volta das 11h30 deste sábado. O jovem foi levado para o Hospital Planalto, na Zona Leste, mas não resistiu ao ferimento, segundo a PM. Segundo moradores, o jovem foi parado quando estava em uma motocicleta.

Por meio de nota à imprensa, o comando da Polícia Militar lamentou o episódio. Confira a íntegra do comunicado:

"É com imenso pesar que a Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) informa que hoje, por volta das 11:30h, na rua Isidoro de Lara, nº 1, no Bairro José Bonifácio, na Zona leste da Capital, durante abordagem o Soldado Bueno, integrante da viatura M- 48309, efetuou disparo acidental, atingindo sua mão direita e o ombro direito do Sr. Yago Batista de Souza, que no momento era abordado. Socorrido imediatamente ao PS Planalto, faleceu. O Soldado Bueno foi preso em flagrante delito pela Polícia Militar por Homicídio Culposo e será transferido ao Presídio Militar Romão Gomes. A Polícia Militar prestará total apoio e integral assistência a família do Sr. Yago, tendo designado 2 (dois psicólogos) para dar atenção aos familiares.
Centro de Comunicação Social da Polícia Militar
"
 

 

 

PM mata adolescente em blitz no sábado, na Cohab José Bonifácio em Itaquera
Fonte: http://afrodescendentes1.blogspot.com.br/2012/04/pm-mata-adolescente-em-blitz-no-sabado.html
14.04.2012


Hoje, numa blitz na Av Virgínia Ferni, Cohab José Bonifácio, Itaquera, um PM atirou e matou o jovem de 17 anos, Yago Batista de Souza na mão direita e no ombro direit. O adolescente estava aparentemente desarmado, em frente a EE Maria de Lourdes. 

De acordo com a Polícia Militar do Estado de São Paulo, Yago foi levado na mesma hora ao hospital, mas faleceu.
Revoltada a população local montou barricadas com fogo para enfrentar a força tática armada até os dentes com as bombas de efeito moral e balas de borracha... 

No momento da ocorrência, havia muitas mulheres, crianças andando na rua, tornando a situação perigosa por isso os próprios moradores que haviam fechado a rua s apaziguaram e à tarde o clima ficou menos tenso. Segundo um dos moradores postou na rede social, PM também não está se eximindo da culpa, estão dando todo o apoio possível. 

O PM foi preso em flagrante por homicídio culposo, em que não é intenção de matar.

Está prevista uma manifestação pacífica dos moradores na missa de sétimo dia com carreata e faixas carreata e faixas, em solidariedade à família e também exigindo mais respeito à população da periferia. Das emissoras de TV, a Globo enviou seu helicóptero, já o SBT e a Record vieram com motolink. Foi feita uma negociação entre os manifestantes e a polícia para que não houvesse mais problemas, mas é certo que dali por diante a população começará a se movimentar a respeito.

 

 

 

 

Adolescente é morto pela PM durante abordagem na capital
Fonte: O Estado de S. Paulo
16.04.2012

Policial diz que disparou a arma acidentalmente ao descer da viatura; para família, soldado foi, no mínimo, imprudente

O estudante Yago Batista de Souza, de 17 anos, foi morto na manhã de sábado durante uma abordagem da Polícia Militar na Cohab José Bonifácio, na região de Itaquera, na zona leste de São Paulo. Ele estava com outros dois amigos na Rua Isidoro de Lara, quando foi atingido no ombro direito. O responsável pelo disparo foi o soldado Fernando Celso Camargo Bueno, de 38 anos, do 48.º Batalhão da PM.

O soldado disse em depoimento que, ao descer da viatura, teria disparado a arma acidentalmente. Bueno foi autuado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e foi arbitrada fiança de R$ 1.244. Ele permanecia detido no Presídio Militar Romão Gomes até as 18h de ontem.

Os familiares da vítima dão outra versão para o caso, e acusam o policial de, no mínimo, ter sido imprudente ao atingir o rapaz. Eles dizem que o soldado estava dentro da viatura quando apontou a pistola .40 para Souza. "Se foi acidentalmente ou não, a gente ainda não sabe. Mas ele parou a viatura, colocou a arma para fora e disparou. Quando ele aborda uma pessoa com a arma apontada, corre o risco de disparar", afirmou o irmão da vítima, o impressor de offset Leandro Batista Lamins, de 30 anos.

Segundo Lamins, Souza não oferecia qualquer risco. "Os meninos estavam desarmados. Meu irmão estava amarrando a chuteira, porque ia jogar bola, estavam só esperando um colega. O meu irmão ainda falou 'ô, senhor, não precisava ter feito isso'. Eles não deixaram nem os colegas socorrem o meu irmão, pediram para que se afastassem."

Auxílio. A PM afirmou que prestará assistência integral à família de Souza e designou dois psicólogos para prestar atendimento. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) divulgou nota lamentando o que considerou um "triste episódio". Ele afirmou ainda que, independentemente da investigação conduzida pela PM, "a responsabilidade do Estado é inegável". Alckmin determinou a instauração de procedimento para que se pague indenização à família de Souza.

No sábado, moradores queimaram pneus e bloquearam a Rua Virginia Ferni, como forma de protesto contra a morte do adolescente. Os dois colegas que estavam com ele no momento dos disparos foram ouvidos pela polícia. O enterro estava previsto para a manhã de hoje, no Cemitério da Vila Formosa. / W.C.
 
 

 

 

Governo de SP vai indenizar família de homem morto por PM
Fonte: Terra, São Paulo
14.04.2012


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, lamentou neste sábado a morte de um homem alvejado por um policial militar no bairro José Bonifácio, zona leste da capital paulista, e determinou instauração de procedimento para o pagamento de indenização do Estado à família da vítima.

Moradores queimaram pneus e bloquearam ruas nesta tarde em protesto. A corporação informou, em nota oficial, que o tiro foi "acidental" e que o soldado Bueno, autor do disparo, foi preso em flagrante e indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, contra Yago Batista de Souza.

A morte aconteceu por volta das 11h30, após abordagem na rua Isidoro de Lara, número 1, próximo à rua Virgínia Ferni. Segundo a PM, a vítima levou um tiro no ombro e foi encaminhada ao Hospital Planalto, onde morreu. O mesmo disparo também feriu a mão do próprio policial. "A Polícia Militar do Estado de São Paulo prestará total apoio integral e assistência à família do senhor Yago, sendo designado dois psicólogos para dar atenção aos seus familiares", afirmou a corporação.

 

 

 


 

Rua Monte Alegre 984 - Perdizes -  Prédio Novo - 4º andar - Bloco A - Sala 4E08 - CEP 05014-901 - São Paulo -