Em 2006 o Observatório das
Violências Policiais-SP
(www.ovp-sp.org)
foi integrado ao Centro de
Estudos de História  da
América Latina (CEHAL)- Núcleo
Trabalho, Ideologia e Poder,
da PUC-SP
(Pontifícia Universidade Católica)

Sitio Premiado - Selo Direitos Nota 10 - DHnet

 

Pesquisar neste sítio

 


Baixe para ler em pdf

 



Sistema penitenciário cresce 72 presos/dia
Fonte: Cruzeiro Net - Sorocaba
24.04.2012

Emerson Ferraz/Secom
Giuliano Bonamim*

Estatística aponta que as 151 penitenciárias do Estado recebem média de três condenados por hora
Secretários Lourival Gomes e Mônika Berga visitaram canteiro de produção de mudas nas duas penitenciárias de Sorocaba

O sistema penitenciário do Estado, que reúne 151 presídios, recebe três novos presos a cada hora, totalizando 72 encarcerados por dia, segundo informações da Secretaria da Administração Penitenciária. O número é bem superior à média de 26 condenados registrada no ano passado. O secretário da pasta, Lourival Gomes, diz que os limites toleráveis já foram extrapolados e busca em Sorocaba uma maneira de diminuir a superlotação nos presídios. Tanto que o representante do governo estadual esteve ontem na cidade para saber os detalhes do trabalho desenvolvido com os detentos reeducandos do regime semiaberto do município, voltado ao cultivo e plantio de mudas nas áreas públicas.

O secretário de Estado esteve reunido com o prefeito Vitor Lippi (PSDB), ontem de manhã, no Paço Municipal, a pedido do governador Geraldo Alckmin (PSDB). A ideia é implantar o trabalho, já desenvolvido em Sorocaba, nas 151 penitenciárias do Estado -que juntas acomodam hoje 188.500 presos. "O detento, lidando com a natureza, sente que está livre e quando retornar ao convívio com a sociedade vai perceber que não deve ficar mais preso", comenta. "Hoje temos uma situação alarmante em relação à entrada de pessoas nos cárceres paulistas", completa.

Em Sorocaba, 20 detentos reeducandos do regime semiaberto desenvolvem o trabalho nas penitenciárias Dr. Danilo Pinheiro (P1) e Dr. Antônio de Souza Neto (P2). Eles cultivam as mudas e ganham um dia de redução na pena para cada três dias trabalhados, além de um salário mínimo por mês. O serviço é feito entre segunda e sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30.

A penitenciária Dr. Danilo Pinheiro (P1), no bairro Mineirão, possui uma estufa para o plantio de árvores e hortaliças. O local é capaz de estocar 150 mil mudas. A mesma capacidade tem a Dr. Antônio de Souza Neto (P2). As plantas são encaminhadas para o reflorestamento de áreas públicas e têm sido usadas nos megaplantios conduzidos pelo governo municipal.

As duas penitenciárias de Sorocaba comportam atualmente 2.620 presos. A Dr. Danilo Pinheiro (P1) tem 1 mil detentos (300 no regime semiaberto) e a Dr. Antônio de Souza Neto (P2) possui 1.620 encarcerados (183 no semiaberto).

O prefeito Vitor Lippi apresentou os dados do trabalho e ressaltou o lado social do projeto. "Ampliar as árvores da cidade por meio do trabalho integrado com o sistema prisional provoca a inclusão do detento na sociedade e isso também é sustentabilidade", comenta Lippi. O encontro também teve a presença da secretária estadual de Agricultura e Abastecimento, Mônika Berga, outra interessada direta no projeto. "Esse trabalho poderá ampliar a produção de mudas nativas e futuramente melhorar o conforto térmico com o crescimento dessas árvores", relata. Os dois secretários também visitaram as duas penitenciárias de Sorocaba e conheceram os modelos de trabalho implantados nessas unidades.

*giuliano.bonamim@jcruzeiro.com.br


 

Rua Monte Alegre 984 - Perdizes -  Prédio Novo - 4º andar - Bloco A - Sala 4E08 - CEP 05014-901 - São Paulo - SP